TECNOLOGIA | Novo malware «Rombertik» está a tornar-se numa dor de cabeça para utilizadores

computadorQuando acomodado no computador, Rombertik vai fazer de tudo para não ser detetado. Mas caso haja algum programa que o tente remover este malware, o utilizador corre o risco de ficar com o computador inutilizável.

Quem criou o malware Rombertik não esteve para meias medidas: ou o programa consegue o que quer ou arrasta os computadores para o fundo de um poço. Isto porque o software malicioso que foi detalhado pelos especialistas de segurança da Cisco tem capacidade para deixar inutilizável o computador das pessoas.

Os utilizadores devem temer, visto que o Rombertik tem a capacidade para registar tudo o que é escrito em páginas Web, o que pode ir desde publicações nas redes sociais, conversas em chats, passwords e até credenciais de acesso ao serviço do banco.

Tala como outros malwares, o Rombertik propaga-se através de esquemas de phishing e envios de e-mails infectados. Mas assim que o utilizador é enganado e levado a instalar a virose não está só a perder a privacidade e os dados pessoais, pode estar também a perder o computador. Isto porque este malware usa uma técnica de autodestruição assim que deteta alguma tentativa de remoção ou neutralização. O que o Rombertik faz é destruir o master boot record, a primeira secção do disco rígido que o sistema operativo vai analisar quando inicia.

Mas este software malicioso, se por acaso não conseguir aceder a este conjunto de ficheiros, parte para o plano B: faz uma encriptação de todos os dados que estão associados à pasta de administrador. Em ambos os casos o computador entra depois num loop de reinicializações até ficar empancado num ecrã preto com a mensagem Carbon crack attempt, failed_. A única solução neste caso passa por reinstalar de raiz o sistema operativo e dizer adeus a todos os dados guardados no dispositivo.

Os especialistas da Cisco dizem que o programa foi concebido para enganar o sistema, já que 97% do código usado é legítimo e tem como função disfarçar os conteúdos maliciosos, levando a uma análise rápida e pouco focada dos programas antivírus, salienta a PCWorld.

De acordo com os especialistas norte-americanos, a luta contra o malware é interminável isto porque conforme vão sendo criados novos mecanismos de deteção, do outro lado os piratas informáticos também estão sempre numa evolução constante.

Newsletter

Escreva-nos o seu endereço de e-mail e fique ligado a nós